LUA CHEIA EM CAPRICÓRNIO MUITO ESPECIAL

Estamos chegando na Lua Cheia, e nessa lua é celebrada uma data muito especial: GURU PURNIMA, o dia do guru que é celebrado ao redor do mundo por milhões de pessoas. A LUA CHEIA entra na noite do dia 08/07 para dia 09/07, às 01:08 am.

Essa LUA nos agracia iluminando nosso desejo mais profundo de auto-realização na Terra, realizar o divino através da experiência no corpo. E nos dá forças para que possamos nos conscientizar mais profundamente de quem somos e onde estamos. Nos empoderar para enraizar e viver essa profunda realização aqui e agora, único momento que existe, doando essa luz constantemente ao nosso redor.

Esse é o desejo mais profundo da nossa alma, se realizar plenamente, realizar o infinito em si e expressar a sua plena luz e realização no mundo em amor e paz, iluminando aos que a encontram para que também relembrem da sua própria verdade. O despertar, o sair do sonho da ilusão da mente que nos aprisiona em uma busca de desejos externos sem fim e sem saída.

Só saindo da mente encontramos o que sempre buscamos, e essas respostas estão no coração, aqui e agora. GURU PURNIMA vêm nos lembrar, nos agraciar com a luz das almas iluminadas encarnadas no planeta, esses que já despertaram em puro amor e compaixão partilham em pura paciência e doação. Quem já esteve na presença de um Guru, uma alma iluminada, Auto-realizada, pode entender o que falo.

GURU PURNIMA é a celebração do dia do GURU. O termo guru significa "mestre" em sânscrito. O termo surgiu no Rigveda como um adjetivo utilizado para indicar algo "pesado", seu oposto seria laghu "leve”. O termo detém um lugar especial no Hinduísmo, significando ambos um lugar sagrado do conhecimento (jnana) e aquele que confere o conhecimento. O adjetivo significa "pesado, de peso ou profundo" é usado no sentido de "repleto de conhecimento e sabedoria” (JEAN, 1977).

Uma outra interpretação etimológica do termo "guru" se baseia na metafórica representação da escuridão e da luz, no qual o Guru é visto como aquele que dissipa à escuridão (KRISHNAMURTI, 1987).

“A sílaba gu significa sombra

A sílaba ru, aquele que dissipa,

devido ao poder de dissipar a escuridão

assim é chamdo o guru.” (Advayataraka Upanishad 14--18, verse 5)

Na Índia a tradição Guru-Díscipulo é muito forte. Guru é um mestre(a), não somente um professor(a), mas uma alma que está na plena realização divina, com plena sabedoria, amor e consciência, vive em unidade com tudo e todos constantemente. Aquele que se tornou um com deus, com o infinito. Não há mais ego, separação ou distinção. Ele olha para todos como ele mesmo, sem distinção de qualquer espécie, amando a todos igualmente, pois ele é amor.

Na presença de um Guru essa luz e radiância nos ilumina, e nos tira do ego e leva para o coração, para a alma, para nosso ser, nossa verdade, nosso divino. É uma luz que acende a nossa luz, que nos empurra a olhar para dentro e relembrar que somos luz, que somos Deus. E assim, para que possamos voltar à nossa casa, à nosso centro, e viver a iluminação, a plena auto-realização, a unidade.

Para nossa cultura ocidentral, que vive valores e tradicões tão distintas dessa visão e foco oriental, é muito difícil entender essa explicação até porque não se pode entender, só vivenciar. Só alcança a compreensão do que isso significa, quando se esteve na presença de um Guru verdadeiro, para distinguir essa grandiosidade que se manifesta na mais pura e completa humildade, e onde eles são tudo e nada ao mesmo tempo. E no saber nada, sabem tudo. Ou seja, entendeu que não dá pra entender com a mente, certo? Só com o coração, na presença!

O GURU doa 100% em 100% do tempo, pois ele só é, está sempre no presente 100%, doa sem esperar nada em troca, pois ele não vê diferença entre ele, o indivíduo e Deus, tudo é um. (SHANKAR, 2017)

“Um discípulo está com seu mestre pelo interesse na sabedoria, com a intenção de melhorar a sua vida e obter iluminação. Ele tem um propósito, uma causa, então ele não está apenas colecionando informações, mas vai um pouco mais a fundo em si mesmo. Ele está tentando trazer uma transformação na sua vida. Quer trazer sentido à sua vida. Este é o discípulo.

Não é maravilhoso se tornar Deus, ou ser Deus? Você querendo ou não, todos já são Deuses. “ (SHANKAR,2017)

A minha Guru é a AMMA, Mata Amritanandamayi Devi, e com ela tenho vivido exatamente isso que descrevi aqui, o florescer constante em mim mesma, o recordar de quem sou, o despertar para a verdadeira realidade, o relembrar pra que estou aqui. É indescritível a experiência de estar com o seu Guru. Só posso expressar gratidão, amor e reverencia a ela que tem dissipado a luz da ignorância da mente e do ego, para que meu verdadeiro ser possa florescer e se realizar. Para que o meu Guru interno desperte e me guie constantemente, e para que a voz do meu ego nunca mais atrapalhe de escutar a verdade e a verdadeira voz que me conduz: o amor.

Nesse texto dessa lua cheia dedico a ela! E uso essa descrição abaixo para muito parcialmente descrever o que tenho vivido nos últimos na presença dessa encarnação da mãe divina, do amor puro e infinito em constante doação:

“Uma flor não precisa de instruções sobre como florescer. Nenhum professor de música ensina o rouxinol a cantar. É espontâneo. Não há força envolvida; acontece naturalmente. De forma similar, na presença de um grande Mestre o botão fechado de seu coração se abre. Você se torna receptive e inocente como uma criança. O mestre não lhe ensina nada;  você aprende tudo sem ser ensinado. A presença do mestre, a própria vida dele, é o maior ensinamento de todos. Não há qualquer controle ou força envolvida; tudo acontece naturalmente e sem esforço. Apenas o amor pode criar este milagre.” - Amma

Essa Lua Cheia é muito especial para meditar e direcionar essa luz irradiada ao redor do globo para despertar sua luz e sabedoria infinita interior. Milhões de pessoas estão rezando e meditando com essa intenção.

Ao mesmo tempo, muita luz ilumina a escuridão para que seja enxergada e dissipada. Por isso, se você está consciente e presente você usa essa luz para te impulsionar em direção a verdade de forma doce e amorosa, pela escolha. Porém se você não está presente e focado em seu crescimento, consciência, luz e amor, a luz te mostra muita ignorância e escuridão que existe dentro de você e ao seu redor. A alma vê isso sem julgamento e usa para iluminação, o ego julga como ruim, como não quero e cria muito sofrimento.

As conjunções presentes no céu incitam a verdade a aparecer, e o ego quer controle, quer o que ele quer e não o que é a realidade. Então ele pode sofrer e criar conflitos pela resistência. Por isso, nesses dias fique presente, se auto-observe, direcione sua energia para a doação, para o amor. Não se prenda a julgar, comparer ou criticar. Saia de qualquer armadilha dessas do ego, e vá para a essência, para o silêncio. Medite e ore.

E se você não tempo, pode ser em ação, no trabalho e nas atividades do dia-a-dia, pratique o silêncio interior na ação. Fora você faz, dentro você escuta. Dentro você silencia, e faz meditação em ação. Você observa as reações do ego, da mente, das emocões, do corpo, e lembra isso não é você! Não é quem realmente você é. Você é mais, além!

E você, sua alma, seu divino, cada vez mais vai entrando no comando da sua vida. Você passará a experienciar pela alma, onde não há sofrimento, apego ou resistência.

Se pode, dedique tempo para estar na natureza, e meditar sem fazer nada externamente, só dedicando atenção e estando na sua presence interna. Olhe para natureza e para o céu e faça oração para a forma do divino que você se identifica: um Guru, Jesus, Deus, Deusa, Mãe divina, Nossa senhora, Kuan Yin, Amor Universal, Forças da natureza… não importa. Tudo é um, a consciência divina, o amor divino se manifesta em todas formas e na não forma. E um dia você também se lembrará que você é tudo isso, amor, paz, sabedoria infinita!

Nessa lua, estarei em Brasília, facilitando o workshop dos Sagrados Ciclos Femininos. Se você é da cidade, ainda dá tempo de participar desse círculo. Saiba mais nos eventos da página Cura do Feminino.

Ótima LUA CHEIA de despertar!

Sat nam

Com amor, gratidão e reverência,

Gabriele Shridevi

 

 

Referências Bibliográficas

Varene, Jean. Yoga and the Hindu Tradition (1977). p.226. University of Chicago Press. ISBN 0-226-85116-8

 

Krishnamurti, J. The Aweakening of Intelligence (1987) p.139. HarperCollins.